DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA NA CONFERÊNCIA EM LUANDA POR OCASIÃO DA VISITA DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

DECLARAÇÃO DO PRESIDENTE DA REPÚBLICA DE ANGOLA, JOÃO MANUEL GONÇALVES LOURENÇO, NA ABERTURA DA CONFERÊNCIA DE IMPRENSA NOS JARDINS DO PALÁCIO PRESIDENCIAL EM LUANDA, POR OCASIÃO DA VISITA OFICIAL E DE TRABALHO DO PRESIDENTE FÉLIX TSHISEKEDI, DA REPÚBLICA DEMOCRÁTICA DO CONGO

-Excelência Senhor Félix Tshisekedi, Presidente da República Democrática do Congo
-Mui Dignos membros da delegação congolesa
-Minhas Senhoras, Meus Senhores

Após a realização das eleições gerais de 30 de Dezembro de 2018 que fizeram de si o Presidente da República para os próximos cinco anos, permitam-me aproveitar esta ocasião para mais uma vez felicitá-lo pela assumpção de tão alta responsabilidade.
Reiteramos o interesse de Angola em trabalhar convosco, com seu Governo e outras instituições do Estado congolês, no reforço dos laços de amizade e cooperação económica entre nossos países.
Sentimo-nos deveras regozijados com o facto de ter destacado Angola como o primeiro país a ser visitado neste périplo que realiza por África.
Angola e a República Democrática do Congo são dois países vizinhos que partilham uma longa fronteira terrestre comum de 2.511 km, cuja história e culturas se cruzam ao longo dos tempos desde o antigo Reino do Congo.
Por esta razão, seus povos desenvolveram estreitos laços de amizade e de irmandade que perduram e têm um grande potencial para se aprofundarem cada vez mais.
Ao nível das relações entre nossos Estados, temos sabido trabalhar permanentemente no sentido do aprofundamento das nossas relações de amizade e de cooperação económica.
Nossos países enfrentam desafios comuns e que são inerentes à condição de subdesenvolvimento em que se encontram.
Juntos podemos partilhar experiências e vencer a realidade actual vigente nos nossos países de falta de infraestructuras, de electrificação e industrialização, de desemprego.
Temos particular interesse em;
-Negociar a assinatura de Acordos bilaterais de Cooperação em matéria de Segurança e Ordem Pública e no domínio Migratório;
-Reorganizar e dinamizar as trocas comerciais no geral, em particular o comércio transfronteiriço no benefício das partes;
-Discutir e negociar formas de Angola poder beneficiar da energia produzida pela barragem do Inga, para Cabinda e outras localidades fronteiriças da província do Zaire;
-Explorar melhor a utilização do Caminho de Ferro de Benguela e do Porto do Lobito, não só para o escoamento dos minérios exportados do Catanga para os mercados internacionais, como também servir de uma das portas de entrada das importações para a RDC.

Senhor Presidente,
Cada um de nossos países tem muito a oferecer ao outro.
Se formos pragmáticos, acredito que todos ganharemos e conseguiremos ultrapassar paulatinamente alguns dos desafios comuns a que me referi atrás.
Mais uma vez, seja bem-vindo a Angola que o recebe de braços abertos.

Luanda | 5 Fevereiro 2019 |

0